Quinquilharia

Renegados

Encravada entre a província portuguesa de Trás-os-Montes e a província espanhola de Zamora [Castilla y León], a região da Braganzónia [Braganza+Amazónia] é considerada, como sempre foi pelo Poder [monárquico ou republicano] de Lisboa, uma autêntica Reserva de Índios, reconhecida por qualquer viajante esclarecido como das mais atrasadas da Europa.

Atrasada, abandonada, desprezada, quase renegada e indesejada!

E não poucas vezes espoliada do pouco que já lhe resta para além da genica, do orgulho e da dignidade dos que nela vão sendo ignorados!

Para os Senhores do Poder, a Braganzónia foi sempre um empecilho que apenas dá despesa, poucos impostos e quase nenhuns votos!

Que os interessou apenas enquanto foi preciso recrutar mancebos fortalhudos, habituados à fome e à porrada, para mandar às guerras de África!

A reserva abrange actualmente 106 tribos, agrupadas em 49 zonas de caça dispersas por uma área de 1.173 quilómetros quadrados.

Eram 34.752 os índios que ocupavam esta vasta área em 2001 [trinta por quilómetro quadrado].

Algumas dessas tribos, as da metade Norte da reserva, desde a fronteira espanhola até aos velhos trilhos que ligam Braganza [a tribo maior] à zona Leste de Vinhais [reserva irmã da Braganzónia] e à zona Oeste de Alcañices [reserva espanhola pouco menos desprezada por Madrid], foram há uns anos atrás, sem para tal serem ouvidas e contra-vontade, integradas no Parque Natural de Montesinho.

Transformando-lhes o quotidiano num verdadeiro inferno porque, entre outras coisas, lhes não é sequer permitido cortar livremente a lenha de que são donos para manter o fogo que lhes aquece o corpo durante o Inverno. Que na Braganzónia é rigoroso, faz doer as unhas e gelar os rios!

Agora, cada índio tem que [muito respeitosamente] solicitar aos Senhores do Parque o especial favor de uma autorização para cortar meia dúzia de paus que mal chegam para os gatos tirarem o frio do lombo!

Melhor fora que o tal Poder os abandonasse de vez à sua sorte para livremente poderem decidir o futuro!

Mariquices

Lembranças

14 novembro, 2007

Buracos

"Tornar o barulho da estrada numa doce melodia foi o objectivo de alguns investigadores japoneses, depois de descobrirem que as ranhuras do pavimento das estradas ressoavam dentro dos carros como notas musicais, como escreve o 'Telegraph' na sua edição de hoje.

Depois de medirem a distância entre as ranhuras e a sua profundidade, um grupo do Hokkaido Insutrial Research Institute foi capaz de transmitir o som através das rodas do veículo para dentro do mesmo."


in ' Público '



Pois nós, por cá, estamos bem mais avançados! Para além de não ser necessário perder tempo a fazer buracos nas estradas, porque estes aparecem naturalmente da noite para o dia, fruto da irrepreensível fiscalização habitual nas obras do Estado, o próprio Governo se encarrega de nos dar 'música' todos os dias... Da Saúde à Educação, da Justiça às Contas Públicas, é uma sinfonia pegada!...

16 comentários:

Carminda Pinho disse...

Olá Porca!
parece que sou a primeira hoje.
Mas também com o tempo todo que perdi na bicha à espera, bem que merecia!!! Ahahah!
O nosso governo dá-nos música mas não só, também nos dá "buracos" e sobretudo dá-nos aquilo que gostamos tanto (: Porca! "poeira" muita poeirinha para os nossos belos olhos:
- Não são uns queridos?

Beijinhos

Porca da Vila disse...

Olá Carminda,

Tão queridos que são bem capazes de conseguir nova maioria em 2009! Com a oposição no estado em que está, sem gente capaz nem soluções sérias, mais meia dúzia de promessas em cima da hora, e lá teremos de aguentar este estranho socialismo de direita por mais uns anos....

Um Xi Grande

Rui disse...

BÔ!
Por falares em Justiça... quando possas dá um saltinho ao meu IN-PROVAVEL.
Quanto aos buracos das estradas, quem sabe se qualquer dia não se descobriram neles vestigios arqueológicos de monta?
Além disso podiam servir de pontos de recolha e armazenamento de águas pluviais para usar em caso de incêndio.
Fica bem.Bj's

Carminda Pinho disse...

Porca,

2009 voltarem a ganhar? estes, os mesmos? não será com o meu voto de certeza.

Surpresa seria se todos aqueles que estão descontentes com este estado de coisas tivessem a coragem de anular o voto ou votar em branco. Eu gostava de ver!!!

Bjs

Porca da Vila disse...

Olá Rui,

São os chamados pavimentos drenantes. Só que no caso português, o asfalto escoa tão rápido como a água!...

Um Xi Grande

Porca da Vila disse...

Carminda,

Com o meu também não. Nas anteriores não votei, nas próximas vai ser igual.

Que tenhas um bom fim-de-semana.

Um Xi Grande

Marreta disse...

Sim, agora até criaram uma sinfonia completa dedicada aos ATL...
Saudações do Marreta.

Laurentina disse...

Ai com o meu voto tb não , vão lá para a grande p... que os pariu!!

Corja danada...esta semana aqui em Viana tem sido um "reigabofe"de comesainas e de foguetorios , é que para além de suas reverêndíssimas excelências estarem por cá a fazerem campanha com inaugurações idiotas a C.M. também é do mesmo colorido !!!


Vai lá à minha palhota tens uma corrente para ti apesar de AMAR a liberdade...eheheheheh

Bom fim de semana
Beijão grande

rendadebilros disse...

Ah mas nas Estradas de Portugal isso ( os buracos) vai deixar de acontecer com a nomeação do mais recente Director Administrador ou qualquer coisado género... É sempre a aviar!!!
Bom fim de semana.

Porca da Vila disse...

Olá Marreta,

Isso cheira-me a Chopin... 'Marcha fúnebre', digo eu!

Um Xi Grande

Porca da Vila disse...

Olá Laurentina,

Assim é que é falar! Até pareces Transmontana!

Já vou ver a 'corrente'. Não me digas que é a 'Pág. 161'?!

Bom fim-de-semana para ti também [muito cor-de-rosa, pelo que me dizes...]

Um Xi Grande

Porca da Vila disse...

Olá Renda,

Directamente da RTP para a estrada! Aliás compreende-se, pois os buracos que por lá deixa só lhe atestam a competência... [deve perceber tanto ele de estradas como eu de lagares de azeite!]

Tem mas é um bom fim-de-semana, que a esta corja as contas batem sempre certas!

Um Xi Grande

Meg disse...

Porca, Esta é uma sinfonia que começa a ensurdecer.
Já para não falar em desafinação.
Buracos, quais buracos?
Votos? Para quê? Quando?

Agora como em 1914...

Um xi pa ti

Porca da Vila disse...

Olá Meg,

Dos votos eles precisam, senão caem da cadeira. Quando precisarem de nós, eles vão aparecer, não te preocupes com a data. Lá virão de novo pedir-nos o voto a troco de meia dúzia de 'rebuçados' para nos adoçarem a boca...

E tens razão, a desafinação é total...

Um Xi Grande

J. P.G. disse...

Nós já não temos buracos, Portugal é "o grande buraco"!

Abraço.

Porca da Vila disse...

Olá Jorge,

Pois... como aquele queijo que quase fazia chorar o Obélix numa das suas aventuras com o Astérix, na Helvécia!

Um Xi Grande

Tenda da Música

Retratos

Gatafunhos

Sinais de Fumo






Boas Causas

Utensílios

Tambores